Texto e fotos por Consuelo Blocker

Meu avô é veneziano. Tanto que, quando faleceu, pediu para ser cremado e enterrado em Veneza. Lógico, portanto, que eu tenha uma ligação com essa cidade deslumbrante. Apesar disso, nunca havia estado em uma de suas manifestações mais importantes, o Carnaval. Este ano, graças a um emuprrãozinho da Bontempo, eu fui!

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

De Florença são apenas duas horas de trem. Fomos de manhã e voltamos à noite. Durante o fim de semana fica muito cheio. Então escolhemos ir numa sexta-feira. Foi perfeito. Caminhamos pelas ruas, almoçamos deliciosamente e até tomamos um aperitivo com cicchetto (tipo uma tapa veneziana).

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

A estação onde se pega o vaporetto (que seria como um ônibus que navega pelos canais) já é dentro de Veneza. Pode-se tomar esse transporte ou um táxi aquático para chegar ao centro. Mas queria ver as ruelas e lojas, os becos e canais com suas janelas pontiagudas e perfume oriental. Adoro passear vendo os locais, imaginando como é a vida nessa cidade. Enquanto pensava nisso passou, o entregador da DHL! Era um senhorzinho com um trolley cheio de caixas. Ele subia e descia pelas pontes, que são todas feitas de escadas. Nada fácil. Imaginei mais: os velhinhos aqui devem estar todos em boa forma!

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

Chamei uma amiga minha, Isa Discacciati, que tem o blog Itália per Amore e é guia da cidade. Ela mora em uma cidade próxima e conhece Veneza super bem. Assim evitamos perder tempo, justamente, nos perdendo (coisa, aliás, que adoro fazer em cidades desconhecidas, mas não era o caso hoje com as horas contadas). Fomos fazendo um ziguezague enquanto ela nos mostrava as lojas de máscaras feitas em Veneza, avisando para não comprar aquelas feitas na China, que tiram trabalho dos locais.

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

Passamos por largos – que aqui não são chamados de praças, mas sim Campi. E à medida que chegávamos mais perto da Piazza San Marco (a única que é chamada efetivamente de praça), onde tudo acontece, começamos a ver mais e mais pessoas fantasiadas. Decidimos então colocarmos as nossas máscaras!

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

Minha escolha e meu look foram muito práticos. Sabia que ia ser um dia meio puxado, com a ida e vinda de trem, além dos quilômetros de andanças. Me decidi por um visual todo preto com uma echarpe colorida. Depois escolhi entre as máscaras de plumas que ganhei de presente em um casamento no ano passado, uma que combinasse com a echarpe. Sabe que acho que no final ficou bacana? O look todo preto ajudou a criar o mistério, só o meu sorriso de felicidade não combinava. Explico.

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

A Piazza San Marco estava animadíssima, com uma população presente e envolvida, dos mais jovens aos mais velhos. A Piazza é o coração da cidade. Todos vão até lá para posar e serem fotografados. Estranhamente, e ironicamente, me lembrou muito os fotógrafos de streetstyle e as bloggers fora dos desfiles de moda. Afinal, a vaidade é algo de muito humano. Mas o que há de tão fascinante? São as máscaras! Especialmente aquelas que cobrem todo o rosto.

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

O cancelar das expressões faciais cria uma distância e um mistério. Os personagens, apesar de sua elegância, são também assustadores… Até ameaçadores. Pois sem as expressões, não conseguimos distinguir suas intenções. E aqueles que usam só máscaras nos olhos não sorriem. Todo esse ar de mistério fica ainda mais empolgante e sedutor com a beleza da cidade!

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

O Carnaval de Veneza começou no século 11 – durava dois meses na época. Decaiu no século 18, quando grandes bailes aconteciam na Piazza San Marco. Retomou força mais tarde, em 1979. Hoje ele dura duas semanas. Pessoas de todo o mundo vêm, se fantasiam e passeiam lentamente para serem observadas. Tem música e teatro, mas ninguém dança. Atualmente a região veneta organiza várias exposições dos artesãos ao redor da Piazza, além de elegerem a Maria, que será o anjo do ano seguinte e que “voará” em uma corda, indo da torre ao palco, indicando o início das festas. Quem faz as suas roupas é o alfaiate Francesco Briggi do Atelier Pietro Longhi.

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

As fantasias são quase sempre reproduções de épocas antigas – não tem super-heróis ou figuras fictícias nem mitológicas, fora um arlequim aqui ou ali. Na verdade, é uma ode à elegância e, quem sabe, à sedução! Afinal, essa é a cidade de Casanova!

Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker Um passeio pelo Carnaval de Veneza com Consuelo Blocker

Voltamos à estação sempre a pé. Ao retornar, foi uma delícia sentar no trem e descansar algumas horas, pensando em tudo que havíamos visto. Foi um dia perfeito, maravilhoso! Mais uma vez, obrigada, Bontempo! Vocês sempre reconhecendo o belo que vale ser observado e compartilhado!