Nada melhor do que aproveitar o tempo livre para fomentar a própria criatividade, não é mesmo? Pois foi assim que as amigas e designers portuguesas Susana Gomes e Raquel Graça, cansadas da rotina casa-trabalho, decidiram que iriam pelo caminho da customização de produtos feitos à mão como uma espécie de hobby. Para a sorte dos apaixonados por tecidos e cores, foi assim que nasceram os cadernos que ilustram o post de hoje e que são verdadeiras relíquias.

Com agulha, linhas coloridas, tesoura e sem a intenção de abrir um negócio,a dupla criou a marca batizada de Beija-flor. A adesão às criações foi tão grande que em pouco tempo o projeto caiu nas graças do público.

Os cadernos são feitos com papel reciclado e têm como capa os mais belos padrões de azulejo encontrados em alguns edifícios das cidades de Aveiro, Porto e Lisboa, em Portugal. Com tanto sucesso, Susana deixou o escritório de design onde ambas trabalhavam e hoje dedica-se exclusivamente à Beija-flor (confira o lindo Instagram da marca aqui).

Já Raquel decidiu seguir um outro caminho. A designer de 28 anos continua a fabricar cada peça seguindo um antigo método de encadernação tradicional – muitas das pessoas que compram esses “azulejos de bolso” não os utilizam, preferem colecioná-los. Compreensível, não? Afinal, cada padronagem é de encher os olhos. As criações chamam a atenção pela delicadeza e cuidado com que são finamente transformadas em material de papelaria.

Os cadernos estão agora disponíveis em três tamanhos – A5, A6 e A7– e à coleção original foram adicionadas outras três: de ilustração portuguesa, de fotografia analógica e de tecidos africanos.

Via Follow The Colours