Antigamente, fazia parte da educação das meninas de famílias de classe alta (ou nem tão alta assim) o aprendizado do piano. Nas salas, significava status a presença em destaque do instrumento, e era comum que a peça interagisse com outros elementos, como ao servir de apoio para porta-retratos ou ao ter algum objeto de adorno em sua parte superior. Foi com o surgimento do rádio e da televisão que a queda nas vendas de pianos de cauda caiu vertiginosamente. Nos últimos tempos, entretanto, elas voltaram a subir – muito graças ao fato do instrumento ser uma requisitada peça de decoração.

Aos interessados a aprender a tocar o instrumento como uma desculpa para tê-lo na sala, ou aos interessados em tê-lo na sala mesmo sem saber tocá-lo, garimpamos algumas imagens que podem servir de inspiração e selecionamos algumas dicas da decoradora e musicista Oneida Cramer:

Três passos básicos para decorar com pianos por Oneida Cramer:
1. Aprenda sobre pianos, visite as lojas, compare os custos, os atributos, o som.
2. Consulte decoradores de interiores. Pergunte a eles se eles já usaram pianos na decoração para outros clientes e quais eles recomendariam.
3. Meça as dimensões dos locais que você pensa para o instrumento, tenha noção das dimensões do piano, e comece a testar possibilidades em pensamento. Não esqueça de considerar o banco, que é onde o pianista senta. Um dia, quem sabe, alguém sente nele. Também considere o local one os ouvintes vão sentar.



Tem dicas e bons exemplos de uso de Piano na decoração? Mande para a gente!